Page Nav

HIDE
HIDE
FALSE

Últimas notícias

latest

Por que ser avó é mais fácil do que ser mãe?

A Bíblia diz em Provérbios 17: 6 que “Os filhos dos filhos são uma coroa para os idosos.” Muitos acreditam que são mesmo. O comediante...



A Bíblia diz em Provérbios 17: 6 que “Os filhos dos filhos são uma coroa para os idosos.” Muitos acreditam que são mesmo. O comediante das antigas, Groucho Marx, disse:  "A melhor razão para se ter filhos é ter netos" e,  se o negócio é radicalizar, Gore Vidal, o famoso escritor não deixou por menos: "Nunca tenha filhos, apenas netos!"

Conversamos com as pessoas e entendemos que as experiencias não são as mesmas. Tudo depende muito da frequência com que você pode ver seus netos e do arranjo familiar. Famílias em que avós e netos coabitam tem sua dinâmica própria. Em alguns casos, netos são criados pelos avôs, com ou sem a presença dos pais. Divórcios, economia, tragédias etc. promovem esses arranjos familiares. Em outros casos, a distância geográfica faz da convivência entre avós e netos, menos frequente. São várias situações que merecem “conversas” diferentes. Vamos explorar algumas dessas situações em outros artigos.

Hoje vamos tratar da relação mais comum: Quando os avôs e avós se encontram com os netos com alguma frequência para almoços familiares de domingo, eventos de família, festas e naquelas pequenas temporadas de férias ou em finais de semana prolongados, quando os netinhos são “despachados” para a casa dos avós a fim de que seus pais desfrutem de um “refresco”. 

Nesse arranjo familiar mais corriqueiro, as avós têm a oportunidade de desenvolver um relacionamento menos superficial com seus netos e netas e, em muitos casos, muito mais acolhedor e caloroso do que se lembram ter vivido com seus filhos e, se perguntam: 


- Poxa, por que ser avó tem sido tão mais divertido do que ser mãe?


Há muitas respostas.






Na casa da vovó pode


E pode mesmo, risos. Tem guloseima fora de hora, tem hora-extra na TV e no vídeo game, tem mais bagunça, desde que os pimpolhos não quebrem os bibelôs da mesa de centro e evitem a cristaleira. 

Enfim, quando se tira o peso da disciplina, a relação fica mais fácil. Quando se é mãe, sabe-se que a ausência de disciplina cobra o seu preço logo ali na esquina. Criar também é podar. 



Mesmo os pais mais “legais e maneiros” sabem que há uma hora que é preciso disciplinar. E aqui não estou dizendo que nós avós não tenhamos a preocupação e o desejo de ensinar bons valores e atitudes aos nossos netos, mas sabemos que não é nossa responsabilidade. 

Podemos tentar nos ajustar aos valores dos pais, os quais nem sempre foram os dos nossos pais, ou os nossos mesmos, quando fomos pais. As coisas mudam. E, por não concordamos totalmente com as regras modernas, ou mesmo concordando com elas, temos a possibilidade de poder relaxar nossas relações com os netos e, sem dificultar demais as coisas para os pais, assumirmos alegremente a nossa função de “pais com mais açúcar”. Afinal, sabemos que cada papel na vida das crianças está bem desempenhado e o nosso é “mimar os pimpolhos”.  Somos o oásis, com bolo, das crianças.


Minha avó dizia: para ser feliz, a gente não precisa sair do lugar, a gente tem que ser o lugar.


Fabrício Carpinejar




Entregando-os de volta

As próprias avós costumam dizer: “como é bom ter os netos por perto, mas como é ainda melhor poder devolvê-los aos pais no final de um longo dia”. Sim, viva isso! Os longos dias com crianças pequenas são cansativos em qualquer idade, mas principalmente à medida que envelhecemos. Depois de algumas horas de bagunça, tudo o que se quer é deitar, tomar um banho ou servir um copo de vinho ou chá. 


Grandes pais são promovidos a avós.


Autor desconhecido




Somos mais velhos e mais sábios

Sim, certamente, somos mais velhos e gostamos de pensar que somos mais sábios. E, provavelmente, somos. Como muitas vezes somos aposentados, não somos tão afetados por outras demandas, como o trabalho a ser feito em casa ou em outro lugar. Nós podemos relaxar. E, claro, se você estiver relaxado, poderá parar e aproveitar ao máximo as crianças. Alguns de nós o fizeram com os próprios filhos, mas nem todos o fizeram o bastante. 
Um bebê transforma um homem em pai e seu avô em uma criança.        

Angie Papadakis


Os netos nos fazem assumir outros papeis e criam... Um relacionamento diferente. Penso que a avosidade é um 'círculo virtuoso' que vai na direção de um relacionamento melhor a cada fase da vida dos netos. 




Nos primeiros dias, os avós costumam ficar empolgados por ter um bebê novo na família. São mais relaxados e aproveitam mais o processo. Já passaram pelas agruras do puerpério e conhecem os riscos reais dos banhos, das trocas, das mamadeiras...  Não se espera que “pirem o cabeção” diante de um escorregão na bacia que deu um caldo do bebê. Sofrem menos pressões e querem agradar os netos da maneira que puderem.

Além disso, não é incomum que os avós - consciente ou inconscientemente - desejem "compensar" seus defeitos como pais. Eles podem ter sido muito perspicazes com seus próprios filhos, ou muito rápidos para julgá-los, e agora é a chance de fazer tudo melhor e participar mais da vida dos netos.


Ao mesmo tempo, os netos chegam aos avós com boas maneiras (sabemos instintivamente que devemos nos comportar da melhor maneira possível na casa de outras pessoas). Eles sentem o amor e as boas-vindas. Isso contribui para um ótimo começo. Ambos querem agradar o outro, enquanto ambos sentem que o outro é "especial" porque são familiares. E porque os dois lados são tão fáceis e confortáveis um com o outro, ele continua assim, anos adiante, fortalecido ainda mais pela presença do amor.



Não há avô que não adore seus netos.
           Victor Hugo






Todos dando o seu melhor

Eles nos veem da melhor maneira possível e nós os vemos da melhor maneira possível. O que poderia ser melhor? E há pouca ou nenhuma das tensões que podem se desenvolver rapidamente quando as coisas dão errado em casa, seja entre os pais ou entre eles e os filhos.




À medida que as crianças crescem e se desenvolvem, elas trazem suas novas realizações para os avós com grande orgulho. E nós, avós, respondemos de acordo. Um vínculo natural é selado por todo esse amor e dedicação.

Mesmo quando os netos se tornam adolescentes e tendem a se rebelar contra seus pais, a casa dos avós pode se transformar em um refúgio e nós mesmos, seus cúmplices, advogados e defensores. Eles não desejam se rebelar contra nós. São nossos chapas!

Quem respeita essa dinâmica -todos fazendo o seu melhor- se faz o melhor avô(ó), sempre no coração dos netos.